Reféns de nós mesmos? Eis a questão!